Papa Francisco: Missionário dos Operários? Padre fraciscotravailleurdo Trabalho?

Como sempre, o Papa rompe protocolos para se aproximar das pessoas

© OSSERVATORE ROMANO / AFP
Pela primeira vez na história, um papa se reunirá com todos os funcionários do Vaticano, acompanhados pelas suas famílias, por ocasião do Natal.No maior auditório da Santa Sé, o Papa Francisco dirigirá uma reflexão de fim de ano (adicional à que o bispo de Roma tradicionalmente oferece aos seus colaboradores mais próximos da cúria).Este é um novo gesto de proximidade, forte candidato a se tornar uma nova tradição. Francisco decidiu incluir esta audiência em sua agenda, mesmo que ela não tenha sido contemplada pelos seus antecessores e tampouco tenha sido realizada no primeiro ano do seu pontificado.Segundo confirmou a Sala de Imprensa da Santa Sé, o encontro acontecerá na Sala Paulo VI do Vaticano, no dia 22 de dezembro, ao meio-dia de Roma.Em uma entrevista publicada esta semana pelo jornal argentino La Nación, o Pontífice se referiu a esta audiência: “Estou preparando a alocução de Natal para os membros da cúria, mas vou ter duas saudações natalinas, uma com os prelados da cúria e outra com toda a equipe do Vaticano, com todos os funcionários e suas famílias, na Sala Paulo VI, porque eles também levam as coisas adiante”.A mensagem natalina do Papa é tradicionalmente considerada um dos discursos mais importantes do ano e, até agora, os bispos de Roma a reservavam apenas a um encontro com seus principais colaboradores da cúria romana, cardeais e bispos.

O cansaço, a aspereza, o sofrimento, a dor são elementos da providencia que proporcionam estabilidade e equilíbrio no voo da vida

PAPA FRANCISCOAinda esta manhã eu observei uma cena que só pode ser vista quando se olha de cima: uma gaivota parada, imóvel a pelo menos uma centena de metros. Normalmente, para voar é preciso se movimentar.

O avião é tão estável em voo quanto forte em sua velocidade. Para aterrissar tem que desacelerar. Aos poucos diminui a velocidade, perde altitude e também estabilidade; a estabilidade que só pode ser obtida ao tocar o chão.
Mas essa gaivota estava parada, no ar, há alguns metros de altura. Mesmo assim, voava. Um voo de invejável estabilidade, sem uma vibração. Suas asas, no entanto, abertas ao máximo, desfrutavam o vento que soprava forte lá em cima.
E o vento que a sustentava, dando-lhe estabilidade, era um vento contrário. Graças ao mau tempo a gaivota pode descansar, comentou um amigo.
O cansaço, a aspereza, o sofrimento, as provações e tribulações, as cruzes, as dores são elementos necessários e providenciais, que proporcionam estabilidade e equilíbrio ao voo da vida.
Contrariedades que permitem estar disponível para Deus, que te sustenta em alta altitude. Adversidades que lhe dão confiança para descansar.