Papa Francisco: Missionário dos Operários? Padre fraciscotravailleurdo Trabalho?

Como sempre, o Papa rompe protocolos para se aproximar das pessoas

© OSSERVATORE ROMANO / AFP
Pela primeira vez na história, um papa se reunirá com todos os funcionários do Vaticano, acompanhados pelas suas famílias, por ocasião do Natal.No maior auditório da Santa Sé, o Papa Francisco dirigirá uma reflexão de fim de ano (adicional à que o bispo de Roma tradicionalmente oferece aos seus colaboradores mais próximos da cúria).Este é um novo gesto de proximidade, forte candidato a se tornar uma nova tradição. Francisco decidiu incluir esta audiência em sua agenda, mesmo que ela não tenha sido contemplada pelos seus antecessores e tampouco tenha sido realizada no primeiro ano do seu pontificado.Segundo confirmou a Sala de Imprensa da Santa Sé, o encontro acontecerá na Sala Paulo VI do Vaticano, no dia 22 de dezembro, ao meio-dia de Roma.Em uma entrevista publicada esta semana pelo jornal argentino La Nación, o Pontífice se referiu a esta audiência: “Estou preparando a alocução de Natal para os membros da cúria, mas vou ter duas saudações natalinas, uma com os prelados da cúria e outra com toda a equipe do Vaticano, com todos os funcionários e suas famílias, na Sala Paulo VI, porque eles também levam as coisas adiante”.A mensagem natalina do Papa é tradicionalmente considerada um dos discursos mais importantes do ano e, até agora, os bispos de Roma a reservavam apenas a um encontro com seus principais colaboradores da cúria romana, cardeais e bispos.

Pe Luiz Antônio da Silva, MO

Superior Delegado dos MO’s

Naquele dia 08 de dezembro 2014 o anjo do Senhor foi enviado a alguns leigos da Paróquia Cristo Salvador e disse: “Alegra-te, cheia e cheio graça, o Senhor é contigo! Não tenhas medo! O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra!”

Dentro desse Espírito do Advento do Senhor, celebrando o Natal de Jesus neste dia da Imaculada Conceição de Maria queremos saudar a todos vocês leigos e leigas que estão renovando as Promessas ou fazendo pela primeira vez este compromisso na Congregação dos Missionários dos Operários neste ano que estamos celebrando os 120 anos de existência e nos preparando para o Capítulo Geral que vai acontecer em Julho de 2015 na Bélgica. Tudo começou com o Pe. Teófilo Reyn e seus companheiros em 1894 inspirados pela Encíclica do Papa Leão XIII RerumNovarum (Das coisas novas), abordando as questões sociais. Nossa palavra é de encorajamento, como o Evangelho: NÃO TENHAS MEDO DA ALEGRIA E DA INSPIRAÇÃO, PORQUE O SENHOR VOS ESCOLHEU E O ESPÍRITO ESTÁ SOBRE VOCÊS. Destacando o nosso Carisma de estar ao lado dos trabalhadores e o lema Justiça e Caridade, acreditamos que vocês podem nos ajudar concretamente a atingir esta meta através da família, trabalho e Igreja-Paróquia evangelizando e humanizando os ambientes que vocês vivem e trabalham. Conscientes do nosso batismo e assumindo este Carisma podemos fazer a diferença especialmente com a nossa presença-qualitativa. Estamos aqui celebrando e rezando este compromisso, olhando para o SIM-EXEMPLO de Maria, que disse: “Eis aqui a Serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Desde o final do ano passado, em dezembro, e este ano – tivemos a presença do Pe. Jan (Superior Geral dos Missionários dos Operários), que nos animou muito aqui no Brasil, onde estamos num processo profundo de reflexão e queremos contar com vocês, junto com nosso Ir. Nicolau e novos formandos que vão entrar no próximo ano para fortalecer o nosso Carisma e Espiritualidade, continuando a Servir a Deus no mundo do trabalho. Que a encarnação de Deus nos torne mais firmes, perseverantes e fiéis a este compromisso e a esta missão que aconteceu e acontece na Família de Nazaré. E louvamos e bendizemos a Deus por cada um de vocês que tomaram esta decisão de seguir a Cristo e colaborar conosco nesse empreendimento e missão como Missionários dos Operários Leigos na Congregação dos Missionários dos Operários. Deus abençoe a cada um e cada uma neste discernimento e ação no momento presente. ASSIM SEJA.

100_6359

Pe Luiz Antônio (primeiro agachado, da direita para a esquerda) é Superior Delegado dos Missionários dos Operários, Pároco de Cristo Salvador, Capelão da PUC Contagem e do Hospital Mun. de Contagem. Amor e dedicação integral pelos trabalhadores e pela formação de novos MO, na qual atua e apoia integralmente.

Sagrada Família, protegei-nos!

1978668_10151877116251653_238285206_n

Órfãos vítimas dos conflitos palestinos.

Pe. Lambert Noben, MO

Estamos no tempo bendito do Advento preparando-nos para um Natal feliz e cheio de paz. No meio de tanta violência, guerras, fome, ódio, miséria… não deixamos de sonhar com uma paz duradoura e completa… só que apenas sonhar não basta: a paz deve nascer em nosso coração e espalhar-se ao nosso redor. Somos nós, juntos, que devemos conquistar e construir esta paz. Boas intenções não bastam, são ineficientes e ineficazes.

Por isso, João Batista nos convida à conversão, a endireitar os caminhos de nosso coração, tirando toda falsidade, egoísmo, mentira, orgulho, agressividade e vingança, para cultivar a mansidão, a bondade e a ternura, o perdão e a misericórdia. Esta é a grande mensagem que Deus nos dá no Natal. Ele, no antigo testamento, como também em quase todas as regiões e religiões da terra é apresentado como um deus terrível, violento, justiceiro e castigador, um deus que mata crianças inocentes e faz acontecer desgraças e cataclismas. Jesus veio a nós como uma criança pobre, fraca, indefesa e acolhedora. Nada de ameaça, nada de vingança ou de castigo, mas apenas bondade desarmada e desarmadora, apenas acolhida simples e carinhosa.  Ele nos ensina que para ser grande, ninguém precisa ser forte, violento e ameaçador, para ser importante não precisa aparecer e exibir-se… Ninguém mais do que Ele conseguiu marcar e transformar o mundo pela sua presença, mesmo se Ele nunca teve fortuna, riqueza, arma ou curso superior… nunca teve função política ou cargo mundano.

Mesmo assim – e talvez seja mesmo por causa disso – Ele incomoda; tentamos abafá-lo e enterrá-lo debaixo de um papai Noel barrigudo e mentiroso, debaixo de um montão de presentes e comidas e bebidas. Papai Noel não nos incomoda, não pede mudança de vida nem conversão e a conversão mais difícil e incômoda é nos tornarmos fracos, indefesos e carinhosos como uma criança. Jesus, “Deus conosco” fez antes de nós esta mudança, esta conversão e mais tarde vai nos anunciar que se não nos tornamos semelhantes a crianças não entraremos no reino dos céus. O mundo se esquece das crianças, despreza as crianças, só respeita o violento, o forte e poderoso, o importante, e por isso é tão difícil se converter a ser como criança, porque nos também seremos rejeitados, esquecidos e desvalorizados. Tornar-se criança é desistir de qualquer forma de poder, opressão, coação, dominação e violência; é desistir de competir para ser o mais poderoso, o mais importante, o mais “mais”. Foi isso que Deus fez na noite de Natal. É esse o seu recado mais importante e mais exigente. Se nós O imitamos nesta sua atitude, seremos construtores de um mundo de paz, de amor, de ternura. Toda violência no mundo é fruto do orgulho, da ganância, da vaidade e da prepotência. A conversão se faz no coração de cada um de nós e depende apenas de nós. Por isso, podemos afirmar que a paz neste Natal depende apenas de nós e está em nossas mãos. Feliz Natal para você, faça o Natal dos outros feliz também.

 

"Vinde após mim e eu farei de vocês, pescadores de homens"

“Vinde após mim e eu farei de vocês, pescadores de homens”

Deus, nosso Pai, em julho de 2015 a Congregação dos Missionários dos Operários realizará seu Capítulo Geral, onde serão eleitos o Superior Geral e os membros do seu Conselho. Juntos, eles terão a missão de conduzir a Congregação pelos próximos seis anos.

Nós te pedimos que teu Espírito assista os capitulantes, para que possam formular o Carisma e a Espiritualidade da Congregação de forma a que ela responda realmente às necessidades atuais dos trabalhadores, a exemplo e no espírito de nosso Fundador, o Pe. Teófilo Reyn e de seus colaboradores.

Que esse mesmo Espírito inspire os capitulantes a fim de que escolham os coirmãos que são verdadeiramente preocupados em colocar o Carisma da Congregação em prática. Que os aspectos da Vida Comunitária e da Vida Religiosa, em geral, não possam ser esquecidos.

Que esse Capítulo Geral 2015 possa dar um novo fôlego à nossa Congregação. Que todos os seus membros, no seguimento de teu Filho Jesus, continuem a se colocar a Teu serviço, pelo bem dos trabalhadores. Tudo isso nós te pedimos pela intercessão da Sagrada Família, padroeira da Congregação.